quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

It should be

 

 

Unending Love

 


I seem to have loved you in numberless forms, numberless times…
In life after life, in age after age, forever.
My spellbound heart has made and remade the necklace of songs,
That you take as a gift, wear round your neck in your many forms,
In life after life, in age after age, forever.

Whenever I hear old chronicles of love, it's age-old pain,
It's ancient tale of being apart or together.
As I stare on and on into the past, in the end you emerge,
Clad in the light of a pole-star piercing the darkness of time:
You become an image of what is remembered forever.

You and I have floated here on the stream that brings from the fount.
At the heart of time, love of one for another.
We have played along side millions of lovers, shared in the same
Shy sweetness of meeting, the same distressful tears of farewell-
Old love but in shapes that renew and renew forever.

Today it is heaped at your feet, it has found its end in you
The love of all man’s days both past and forever:
Universal joy, universal sorrow, universal life.
The memories of all loves merging with this one love of ours –
And the songs of every poet past and forever.



Rabindranath Tagore

Could be simpler // Até podia ser mais simples // Podría ser más sencillo






Those truths. We insist that those are lies.
Those dreams. We insist that those who are daydreaming.
Those certainties. Those who insist on questioning.


--
Aquelas verdades. As que teimamos que são mentiras.
Aqueles sonhos. Os que teimamos que são devaneios.
Aquelas certezas. As que teimamos em questionar.  


--
Aquellas verdades. Las que insistimos que son mentiras.
Aquellos sueños. Los que insistimos que son ilusiones.
Aquellas certidumbres. Las que insistimos en cuestionar.  



Art: Pascal Campion

 

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Sobre o que anda acontecendo no Brasil



SOBRE OS PROTESTOS PELA COPA DO MUNDO E POR QUALQUER COISA

Não. Não penso ser legal estes protestos antes e durante os jogos da Copa do Mundo. Alienação? Não. Respeito. Respeito pelas pessoas que virão ao Brasil esperando chegar em um festa e não em uma guerra. Sabem (e nós também sabemos) que ninguém faz festa melhor que um brasileiro. Que poucos países recebem um estrangeiro tão bem quanto o Brasil o faz. Não devemos nada para ninguém.  

E antes de qualquer jovem “politizado” vir comentar este texto, me responda a seguinte pergunta: Quem foi o vereador, prefeito, deputado estadual que você votou na última eleição? Antes de culpar todo mundo, veja a sua responsabilidade na situação. Antes de gritar com todos, deveria bater na porta daqueles que receberam seus votos. Mas, com certeza isto você, querido jovem politizado, não pode fazer porque não faz a menor ideia em quem recebeu sua confiança durante o exercício do direito à democracia.



SOBRE “FAZER JUSTIÇA COM AS PRÓPRIAS MÃOS”

Dar segurança é um dever do Governo. Pagamos por isto em impostos. Quando este não consegue cumprir com isto, a população não pode e não deve abrir mão de seu direito: O de defender-se. Então, queridos profissionais de Direitos Humanos, enfiem esta filosofia de que “bandido tem direito” na cavidade anal dos seus próprios corpos. Ou na deles. 



SOBRE O BBB BRASIL

Não acredito que ainda há gente que dê audiência para uma merda igual a essa, mas enfim, se há quem veja, fazer o quê? Não é minha opção de diversão. Então, não me enche o saco me perguntando se eu vi fulana com beltrano debaixo do cobertor ou se eu vi quem ganhou a prova do líder ou ainda se vi o barraco entre duas meninas que se beijaram. Não, eu não vi. Não, não vou pesquisar as cenas na internet. Não, não me olhe com cara de “que menina mais mal educada” porque eu vou começar a chorar. Snif.




SOBRE A PROFESSORA UNIVERSITÁRIA QUE PUBLICOU UMA FOTO DE UM SENHOR NO AEROPORTO TRAJANDO BERMUDA E PERGUNTOU “AEROPORTO OU RODOVIÁRIA?”

É preconceito, minha Senhora. “Preconceito é conceito formado com base em julgamento próprio que exige tom depreciativo da diferença; análise tendenciosa; discriminação provocativa”. Mas, isto a Senhora já sabe depois de toda repercussão negativa e, agora, passível de um processo. 

Fica uma lição nisso tudo. Não só para essa Senhora, mas para todos nós: No dia em que esquecermos o bom senso em casa, gentileza voltar para buscá-lo. 


segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Coisas do Pai VI

Em uma quarta-feira, o pai vendo eu e minha irmã saindo para trabalhar:

- Oh Maria (minha mãe), onde que essas meninas vão toda arrumadas tão cedo? Ou elas estão chegando agora da rua?
- Elas vão trabalhar, Tide. 
- No domingo?
- Não. Numa quarta-feira. Hoje é quarta-feira, Tide. 
- Eita bosta!



Em um domingo, às 6 da manhã:

- Mariiiiiia, acorda as meninas porque elas vão perder hora para o trabalho!!!!
- Tide, volta pra cama porque hoje é domingo.
- Né não. 
- É sim. 
- Eita bosta! Vou ver a missa na Rede Vida primeiro.