sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Déficit de atenção


A gente se desloca até a uma loja de telefonia celular para buscar mais informações das que estão no site da empresa:

Eu: Olá. Estou procurando tal produto e no site de vocês não informava os dados específicos de tal coisa.

Ele (sem tirar os olhos da tela do computador): No site tem todas as infomações que a senhora precisa, senhora.

Eu: Não. Não tem. Foi o que acabei de falar.

Ele(ainda sem tirar os olhos da tela do computador): O que a senhora gostaria de saber?

Eu: Eu acabei de dizer o que quero saber.

Ele(ainda sem tirar os olhos da tela do computador):  ... 


5 segundo depois


Ele(ainda sem tirar os olhos da tela do computador): Senhora, a senhora não está me ajudando...

Eu: Deve ser déficit de atenção. Só pode ser isto. Não posso acreditar que um funcionário possa ser tão idiota assim. Não acredito mesmo.


segunda-feira, 20 de agosto de 2012

The time has gone


I saw almost every morning in your eyes;
I walked in the same step as you;
I drank your smiles;
I cried because your absence;
I played the games of adults;
I believed that you and I belong here.

One day, in the middle of the night
I woke up listening to the words telling me:


You don´t know anything about the world.
You don´t know how to play, little child. 




“Some dance to remember, some dance to forget.”

sábado, 18 de agosto de 2012

Te dou poesia. Serve?





Tenho flores.

Na minha mesa. Na minha blusa. No meu cheiro.

Tenho um sol brilhando lá fora e meus pensamentos em você.

Tenho uma espera constante.


Tenho vontade de te ver.

Tenho vontade de te ler.

Tenho vontade de te ouvir.



Tenho tanta alegria hoje que posso fazer o mundo inteiro feliz.

Mas, quero fazer o mundo de uma só pessoa feliz. Só o seu.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Síria

Quase três semanas para escrever este texto. Chorei em cada tentativa de terminá-lo. Chorei a cada revisão de texto. E as lágrimas insistem em cair... 



Não sei bem por onde começar por se tratar de um assunto nada delicado, levando em conta que guerra nunca é delicada.


Usarei um livro lindo e muito conhecido para contar o que está acontecendo na Síria nos dias atuais. 


O Profeta

Gibran Khalil Gibran

“Como poderei ir-me em paz e sem pena? Não, não será sem um ferimento na alma que deixarei esta cidade." 





Fala-nos do AMOR
O amor nada dá senão de si próprio e nada recebe senão de si próprio.

O amor não possui, nem se deixa possuir.

Pois o amor basta-se a si mesmo.







Fala-nos dos FILHOS
Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas; pois suas almas moram na mansão do amanhã, que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.




Fala-nos das HABITAÇÕES
Vossa casa é o vosso corpo mais amplo.
Não morareis em tumbas feitas pelos mortos para os vivos.




Fala-nos do CRIME E CASTIGO
Freqüentemente, tenho-vos ouvido falar daquele que comete uma ação má como se não fosse dos vossos, mas um estranho entre vós e um intruso em vosso mundo.
Mas eu vos digo: da mesma maneira que o santo e o justo não podem elevar-se acima do que há de mais elevado em vós, assim o perverso e o fraco não podem descer abaixo do que há de mais baixo em vós.





Fala-nos da LIBERDADE
Às portas da cidade e em vossos lares, eu vos vi prosternar-vos e adoras vossa própria liberdade...

 



Fala-nos da AMIZADE
E na doçura da amizade, que haja risos e o partilhar dos prazeres. Pois no orvalho de pequenas coisas, o coração encontra sua manhã e sente-se refrescado.





E na DESPEDIDA
É a vida à procura da vida em corpos temerosos da sepultura. Não há sepulturas por aqui.

Estas montanhas e planícies são berços e alpondras.

Cada vez que passais pelo campo onde enterrastes vossos antepassados, olhai bem e vereis avós e a vossos filhos dançando de mãos dadas.











Síria,
Lá, até a morte chora.







Fotos:
Agência Reuters

domingo, 12 de agosto de 2012

"Meu querido, meu velho, meu amigo"



Tentar escrever para o pai é tentar encontrar palavras para descrever um amor que só existe no invisível.

Só tenho tempo para amá-lo. E muito.
 

 








quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Aborrecimento

Precisei ligar para São Paulo hoje devido a uma demanda que era um pouco urgente. 

No retorno da ligação, a atendente precisou confirmar o endereço daqui de BH.


Ela: Senhora, o endereço é rua tal, número tal, bairro tal, em Minas Gerais. Correto?

Eu: Sim. Certinho. 

Ela: Qual é o Estado?


Juro que quase respondi "solteira". Mas, ando sem vontade de administrar conflitos e coisa e tal.

Eu: Você já disse. Minas Gerais.

Ela: Ah sim. Pensei que fosse a cidade. 

10 segundos depois...

Eu: Se você tiver coragem, repita isto que você acabou de dizer. 



















Ela repetiu. :-(


segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Cold Days




I like to talk about missing someone on a rainy day. 

The cold, gray days, inviting us to be quiet… To miss someone or something is as natural as sigh.

To me, it´s hard to speak about missing someone in the sunny days because we already have the heat on the skin.

It´s hard to speak about missing someone when I don´t receive any message in these days.

It´s hard to speak about missing someone these days because I just have the memory to help me, remembering me that you’re here.

You exist. 

You live within.

I don´t need to invent you. You neither. 


“When a new love is born, is very hard to resist the temptation to take our presence felt everyday. But, we must let it breathe. If you put it in a glass vase, like we use to do with  flower (because we´re terrified that the wind and the time take its beauty) we will have during a short  time what is really beauty in love.

What I learned about love is: love is made of absence and presence. And both are important.

I learned that love is made of freedom. To have, everyday, many choices and to choose the same thing, the same freedom choice everyday.

The small victory makes you happy. To love and to be loved. To discover in their eyes that you were picked again and again.

What I learned about love – and I learned about love by myself – is love requires much of me, a great effort. A daily exercise that I can´t say no to.”



You ever be my best inspiration.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Das competências

Das crianças

Acredito que as crianças chegam às nossas vidas depois que estamos adultos – quando não temos tempo nem paciência para a vida e as pessoas - para lembrar-nos de como é fantástico, maravilho e mágico tudo isso. Brincadeira, sorrisos, sonhos e esperanças.



Dos idosos

Ainda os temos para lembrar-nos que, apesar de, tudo isso NÃO é eterno.