segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

A irmã e o macacão mais lindo do mundo

Na quinta-feira, a irmã comprou o macacão mais lindo que existe em uma loja perto do trabalho dela. Estampado. Todo colorido. A cor predominante era o amarelo e as estampas lembravam desenhos tribais africanos. Lindo! Na hora de ir embora, não mostrou para sua irmã, mas na sexta-feira, já estava vestida com ele.

Sexta-feira era o dia da festa de final de ano da empresa da sua irmã. Ela separou um vestido preto longuete com detalhes de arabescos na mesma cor e tom do tecido. Lindo! Mas, na sexta-feira ela não queria o preto. Ela queria todas as cores do mundo. Ela queria o macacão.

Sua irmã desceu até o bairro vizinho para almoçar com a irmã. Depois combinaram de ir até à loja do macacão porque compraria uma macacão para vestir na festa à noite. A irmã desceu antes e antes avisou à colega de trabalho: “Se eu voltar com outra roupa, não estranhe. É uma longa história.” E riu. Muito.

O plano era, se a sua irmã não encontrasse o macacão, elas trocariam de roupa. Sua irmã iria de macacão para a festa e a irmã voltaria com outra roupa para o escritório.
Que necessidade havia nisso? Nenhuma.

As duas na loja de roupa em busca do macacão mais lindo do mundo e a vendedora que as atende diz que tem só mais um e que ele está no provador com uma outra cliente.

Ficaram as duas perto do provador. Aliás, somente sua irmã, porque já que a irmã estava vestida com o macacão, isso poderia influenciar a decisão da outra que, no momento, estava experimentando o outro.

A cliente, então, sai do provador com o macacão mais lindo do mundo e em dúvida se ficou bom ou não, se leva ou não. Então ela pergunta para a sua irmã, a que está ao lado do provador, se ficou bom. Sua irmã responde que ficou (sim, ela não tem muito potencial para não ser sincera), mas que se ela, a cliente, está em dúvida que não o leve. Que não fique com ele. Ela ficou. E levou. Vaca.

A irmã ainda insistiu muito para que trocarem de roupa. Que ela realmente não se importaria. Mas, sua irmã foi bem firme na decisão: Não! Não faria isso. Se arrependeria depois? Obvio que sim.

As duas irmãs ainda desoladas na loja, tentaram encontrar uma solução: um vestido, uma blusa ou um outro macacão mais lindo do mundo, para que não houvesse necessidade de trocar de roupa no meio do horário de almoço.

Com muito custo, sua irmã encontrou uma blusa que lhe agradou e poderia usar coma  calça que estava naquele dia e assim, voltou para o trabalho e à noite foi para a festa da empresa com a blusa nova. Dançou muito. Aproveitou a festa e a companhia dos colegas de trabalho.

Sua irmã esqueceu-se do macacão mais lindo do mundo.



Sua irmã só se lembrava da irmã mais fofa, amada, bem resolvida, desprendida, com um amor maior que tudo a ponto de ter a intenção de voltar à empresa com uma calça dois tamanhos menores e uma blusa estilo baby look que ficaria quase uma cropped (sim... a irmã é quase 15 centímetros mais alta que sua irmã) só para fazer os caprichos de sua irmã.

Amor demais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Cuéntame.