quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Barraco na padaria



Definitivamente deveria ficar na cama até mais tarde. Inclusive durante a semana.

Deus!!! Me faça rica!!

Cheguei em cima da hora hoje no trabalho e como meus biscoitos haviam acabado, desci na padaria para comprar um pãozinho para mim. 

Desci a rua correndo porque já estava meio atrasada. Gente, chegando lá, a padaria estava cheia de gente. Fila para atendimento, fila para pesar pão, fila para pagar.... Oh arrependimento! 

Quando eu já estava na fila para pagar, depois de uns  7 minutos na fila, um rapaz chegou e começou a conversar com dois rapazes que estavam na minha frente. Até aí, tudo bem. 

A fila foi andando e ele foi acompanhando os amigos dele. Quando chegou a vez dos amigos dele ser atendidos, ele foi para o caixa primeiro e falou: “Não cara, vou pagar aqui. O meu é rapidinho!”

Gente... 

Senti uma coisa tomando conta do meu ser e gritei para o rapaz do caixa: 

- Esse aí você não vai atender, não! Mas, não mesmo. Está furando fila. Passou na frente de todos nós. Ficou com desculpa de que estava conversando com estes dois aqui na minha frente e foi para o caixa pagar as coisas dele. 

Já virei para ele:

- Deixa de ser moleque! Sem falar em mal educado! 

O rapaz ficou todo desconcertado, meio que gaguejando ainda tentando se explicar que estava com pressa, que tinha horário para voltar para a empresa e blá, blá, blá...

- O que te faz pensar que seu tempo é mais importante que o meu? Que o das pessoas que estavam na sua frente? Cretino! Babaca!

Nessa hora, o pessoal atrás de mim,  já comprou a briga e começou a xingá-lo também. Pronto. Barraco armado na padaria às 8h.

Poderia ter ficado quieta e deixá-lo pagar a coisinha dele e ir embora? Sim, poderia. Mas, ando com uma falta de paciência com gente folgada, que acha que os demais existem só por causa dele, e... e... aaaaaaarrrrrgh... Não aguentei ficar calada!

Na volta, passei em frente ao trabalho dele e o “fi de capiroto” estava na rua. Poderia ter ficado calado, quieto, mas não... ele começou a me xingar perto dos amigos dele e que eu pude fazer é gentilmente mostrar meu esmalte cor Tâmara para ele. Mas, só o dedo do meio. 





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Cuéntame.