terça-feira, 18 de setembro de 2012

Superem. Isso.

Eu mandei assim para ele:

"Para você criar um texto em cima disto porque eu ando sem vontade alguma de escrever, mas achei tão bonitinho que pretensiosamente também acho um desperdício abandoná-lo assim. 

 
Gosto da esperança bonita de que são feitos os últimos minutos.
A tristeza, a alegria, a dor, as lágrimas, etc... todo o resto pode esperar. 
 


Bom aproveito!!!"





Ele respondeu assim:

"Não sei se dá. Você criou um apotegma excelente. 

Ah! você não sabe o que um apotegma?! 

Eu também não sabia. Apotegma é uma sentença breve.

Pois, você criou uma sentença breve muito bem estruturada. Não há elementos somatórios que resultarão num texto melhor. 

Ao menos não assim de supetão, visto que uma sentença é, segundo o dicionário, uma frase lapidar que encerra um pensamento de ordem geral e de valor moral. Ou ainda, a decisão final de um juiz ou de um tribunal: Sentença de morte, despacho, decisão.

Você talvez tenha, despretensiosamente, na minha opinião prepotente de crítico literário que não sou, resumir em duas linhas e uma sentença, um livro inteiro como Cem Anos de Solidão e/ou Grandes Esperanças.

Apenas. Isso."



2 comentários:

  1. o grande barato disso foi descobrir essa palavra: apotegma.

    amor, você tem um talento encarcerado aí, precisa libertar. de apotegma em apotegma. sou seu fã número um!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rs, rs, rs, rs... Vc sabe fazer meu dia!!!

      Obrigada!


      Bjs

      Excluir

Cuéntame.