segunda-feira, 11 de março de 2013

Escrevendo sobre o que eu não sei



Quando penso que nada mais pode me chocar no que diz respeito ao Ser Humano, ele se supera e consegue fazer uma merda maior.


Hoje acordei e fiquei chocada com a notícia do atropelamento de um ciclista ontem em São Paulo. Um certo individuo dirigindo um carro, atropelou o ciclista, arrancou o braço dele, saiu da cena do crime sem prestar socorro (e ainda com o braço do ciclista preso ao carro), parou o carro um pouco mais adiante, pegou o braço do ciclista que estava preso ao carro, jogou em um córrego, como se fosse uma carta que já não deveria ser lida e foi embora como se nada houvesse acontecido. 


De tudo, fica o que eu não sei.


Não sei como um bípede que tem sangue correndo na veia, coração que bate, respira o mesmo ar da Terra que todos os outros seres vivos e segundo a teoria da evolução é o único Ser Racional, pode fazer isto. 


Não sei como é que se espera que o Brasil seja um lugar melhor tendo gente como esse cara trabalhando e votando para que isto aconteça.


Não sei, nem imagino o que as mães dos dois estão sentindo neste momento. Sentimentos tão distintos, dores diferentes, mas doendo está nos dois corações.


Não sei como o medo pode fazer com que alguém siga em frente, ao invés de parar e corrigir o erro. Porque a coragem, se ela pudesse falar mais alto naquele momento, certamente ela diria: "Você é um Filho da Puta, Desgraçado!!! Pare e tente concertar o seu erro. Imbecil!!!"


Não sei como a Humanidade chegou a este ponto.


Não sei aonde “isto” vai dar. 

_______________________________

Writing about I don´t know




When I think that nothing can shock me with regard to Human Being, he excels yourself and do a  bigger shit.

Today I woke up and was shocked with the news of the trampling of a cyclist yesterday in Sao Paulo. A certain individual driving a car, ran over the cyclist, pulled his arm, left the scene without providing relief (and even with the rider's arm attached to the car), stopped the car a little further, took the arm of cyclist that was stuck to the car, threw in a stream, like a letter that shouldn´t longer be read and later, has gone as if nothing had happened.

Of all, is what I don´t know.

I don´t know how a biped who has blood running in the veins, heart beating, breathing the same air of Earth than all other living beings and, regarding to the theory of evolution is the only Being Rational, can do this.

I don´t know how to be expected that Brazil is a better place with people like this guy working and voting for that to happen.

I don´t know, I cannot imagine what the two mothers are feeling right now. The feelings as distinct, different pains, but two hearts aching.

I don´t know how the fear can make someone move on, rather than stop and correct the error. Because courage, if it could speak up at that moment, certainly would say: "You're a son of a bitch, bastard!! Stop and try to fix your mistake. Idiot!"

I don´t know how Humanity has arrived at this point.

I don´t know where "it" is going.
 

2 comentários:

  1. ontem eu conversava com meu irmão e dizia que só falta o papa escolhido ser o ganês defensor da pena de morte para homossexuais.

    não sei bem se é o trabalho da onu, nem se ela tem esse poder, mas ela bem podia emitir um comunicado confirmando que a humanidade deu errado.

    ResponderExcluir
  2. Chama o dono da Terra. Por favor. :-)

    ResponderExcluir

Cuéntame.