segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Resposta às perguntas

Semana passada fiquei muito impressionada com a matéria sobre a morte de Zé Luca Magalhães Lins

Não o conheci. Pelo que li, era uma pessoa bem conhecida no Rio de Janeiro, mas nunca havia lido nada à respeito do mesmo até então. 

Há um ano ele perdeu o filho em um trágico acidente de avião na Bahia e desde então, segundo a matéria, não conseguiu superar a perda do filho; a tristeza de seguir em frente sem; a ausência não consentida. A grandeza de ser pai de um filho que já não existe.

A colunista colocou o título: Onde foi parar aquele prazer de viver?

Em um dos comentários, uma pessoa perguntou se é possível morrer de amor neste caso. 

Gonçalves Dias já respondeu à estas questões anos atrás e em forma de poesia. 



"Conhecer o prazer e a desventura
  No mesmo tempo, e ser no mesmo ponto
  O ditoso, o misérrimo dos entes;
  Isso é amor, e desse amor se morre!"




Zé Luca, que você e sua família encontrem paz!

2 comentários:

  1. é um post tratando da morte? se for, eu sempre só consigo pensar no caetano e sua oração ao tempo.

    se for sobre morrer de amor, minhas referências são mais pobres, tipo legião urbana e seu joão roberto, o maioral, que morreu na curva do diabo em sobradinho.

    ResponderExcluir
  2. Acho que é sobre "o outro lado". É mais comum a perda de pai para um filho. E esse moço viveu o contrário. Não aguentou.

    Amor e ponto. Só isso.

    ResponderExcluir

Cuéntame.