sexta-feira, 24 de julho de 2015

Farewell



Sábado fez sol na minha cidade. Amanheceu um dia bem frio, mas pouco a pouco o sol veio dando as caras para esquentar o dia. A alma não. Mas, você não viu isso.

Os ipês estão florindo por toda cidade. Os ipês rosas primeiro, depois os roxos e, por fim, os amarelos. Não sei como é feito esse acordo mútuo (particularmente acredito que são tão vaidosos que não gostam de competição), mas sei que funciona bem. Cada um no seu tempo. Mas, você também não viu isso. 

Descobrimos que o papai está com uma infecção muito grave nos rins. Aliás, cada dia que passa ele está um pouquinho mais debilitado. Mas, foram muitas coisas vividas por aquele corpo em 92 anos de vida. Não dá para esperar muito, né?! Aliás, quando ele chegar aí, convide-o para uma cerveja bem gelada. A viagem vai ser longa. Eu acho. Ele deve chegar meio cansado, mas pouco depois ele vai se animar. Pode ter certeza.  Espere por boas risadas também.

Não sei se vai demorar eu sentir/passar pelo que seu filho Rob sente/passa hoje. Pouco tempo atrás eu diria “espero que demore”, mas hoje não sei mais o que espero vendo-o cada vez mais calado, introspectivo e sem forças. Hoje eu só cuido e rezo. Muito. 

E isso eu sei que você pode ver. 


What I want to tell you is what I told you last Saturday: Thank you very much! Rest in peace because your flock is ready. 




The longing here is so much and if you were in Brazil, probably they will sing this song:


EU NÃO SABIA QUE DOÍA TANTO
UMA MESA NUM CANTO UMA CASA E UM JARDIM
SE EU SOUBESSE QUANTO DÓI A VIDA
ESSA DOR TÃO DOÍDA NÃO DOÍA ASSIM

AGORA RESTA UMA MESA NA SALA
E HOJE NINGUÉM MAIS FALA NO SEU BANDOLIM
NAQUELA MESA TÁ FALTANDO ELE,
E SAUDADE DELE TÁ DOENDO EM MIM
NAQUELA MESA TÁ FALTANDO ELE,
E SAUDADE DELE TÁ DOENDO EM MIM





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Cuéntame.